Sarcófago de 2.500 anos é aberto diante do público no Egito e gera críticas nas redes

Vídeo mostra pessoas aglomeradas sem máscara ao redor do caixão. Uma delas chega a passar a mão na múmia sem utilizar luvas

Fonte: Revista Fórum

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra um sarcófago de 2.500 anos sendo aberto em Saqqara, sítio arqueológico localizado ao sul de Cairo, no Egito, no último sábado (3). A abertura gerou críticas de internautas por ter sido feita diante do público em geral, que não aparentava utilizar nenhum equipamento de proteção.

Um dos vídeos foi publicado pelo embaixador da Austrália no Egito, Glenn Miles. “Privilegiado por assistir à abertura de umsarcófago recém-descoberto em uma antiga necrópole egípcia em Saqqara. Um crédito para o Ministro do Turismo e Antiguidades Khaled El Anany e todos os outros envolvidos em uma escavação incrível”, escreveu no Twitter.

As imagens que viralizaram mostram o momento em que o sarcófago é aberto diante do público, como jornalistas, funcionários e até crianças. As pessoas filmam a múmia e um homem chega a tocá-la sem usar luvas. “Olha a quantidade de gente ao redor, até criança, enquanto abrem um sarcófago de 2500 anos, sem ter ideia que tipo de micro-organismo pode ter ali dentro. Essa sim é a mistura de Brasil com Egito”, escreveu o youtuber Felipe Neto no Twitter.

Ao todo, 59 sarcófagos de madeira com múmias que datam de até 2.600 anos atrás foram descobertas no Egito. De acordo com os pesquisadores, os caixões pertencem a sacerdotes e oficiais. Eles foram descobertos em agosto na necrópole e estavam enterrados em três tumbas verticais de 10 a 12 metros de profundidade, juntamente com 28 estátuas do antigo Deus egípcio Ptah Sokar.

De acordo com o portal de notícias DW, as múmias serão expostas no Grande Museu Egípcio, que será inaugurado em 2021, próximo às pirâmides de Gizé.