Queiroz admite “rachadinha” em gabinete de Flávio Bolsonaro, mas nega envolvimento do ex-chefe

Para o MP, “não é crível” que o filho do presidente não soubesse dos repasses. Prática ocorreu por mais de dez anos e arrecadou milhões

Fonte: Revista Fórum

O ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Fabrício Queiroz, admitiu a prática de “rachadinha” no antigo gabinete do filho do presidente. Ele negou, entretanto, que seu ex-chefe soubesse da prática.

Em documento entregue aos promotores que investigam o caso, Queiroz admitiu, por escrito, “que havia um acordo pelo qual os assessores por ele indicados para ocupar cargos no Gabinete haveriam de lhe entregar parte de seus vencimentos”. As informações são da CNN Brasil.

Queiroz afirmou ainda que “tal acordo teria sido realizado sem consulta ou anuência do então Deputado Estadual nem de seu Chefe de Gabinete, valendo-se da confiança e da autonomia que possuía”. 

Para o MP, no entanto, “não é crível” que a prática tenha se estendido por mais de dez anos no antigo gabinete de Fávio, arrecadando milhões, sem que o filho do presidente tivesse conhecimento do ato. Promotores também destacam a evolução patrimonial que Flávio e sua esposa, Fernanda Antunes Bolsonaro, tiveram ao longo desse tempo.