“ O NOVO NORMAL ” – Ainda nos indignamos com os números de mortes ou já nos acostumamos?

O novo normal, é uma das frases mais usadas nos dias de hoje. Mas, o que seria exatamente esse “novo normal” que tanto falam?

Por: Gabriela Sousa

A cada dia que passa, temos a impressão de que as pessoas já se acostumaram com os números de óbitos e infectados que são divulgados todos os dias das vítimas do COVID-19. Às vezes, não é só uma impressão, vemos todos os dias e principalmente aos finais de semana, as aglomerações, as festas clandestinas, pessoas indo à praia, viajando para o interior, lotação nos centros comerciais, pessoas fazendo passeios, não utilizando a máscara de proteção que inclusive é obrigatório, e agindo como se tudo estivesse normal, ou será, que esse “novo normal” é exatamente isso? Ignorar tudo o que está acontecendo, se acostumar com quase mil mortes por dia e simplesmente “tocar a vida” como disse o atual Presidente, como se estivesse tudo e todos bem?

Não tem como aceitar que mesmo com todos os dados, as informações e noticias que são passadas todos os dias, as pessoas saiam de suas casas para se divertir em meio a uma Pandemia. Agora, não é possível sair para qualquer lugar, seja um parque, shopping ou um restaurante sem nos preocupar, ainda mais colocando a vida de outras pessoas em risco.

Um momento que deveria ser de extrema empatia, o que temos é cada vez mais a falta dela. Ver pessoas desrespeitando, ignorando, agindo como se de fato fosse só uma “gripezinha”, enquanto os números de óbitos e infectados só vão aumentando, é de extrema tristeza.

E em que momento perdemos a humanidade de olhar para esses números e ignorar que por trás das “estatistas”, há vidas, histórias, famílias, um amor de alguém? Em que momento deixamos de ser mais humanos?

Mas, da mesma forma que vemos pessoas que não estão respeitando a quarentena, também vemos muitas outras que estão seguindo as recomendações à risca desde o início. Muitos ainda se mantêm isolados, sem ver seus parentes, amigos, sem fazer o que gosta, tentando proteger-se, proteger os que amam e aos outros também.

Em algum momento, todos nós teremos que voltar as nossas atividades, mas não do jeito que está acontecendo, na loucura. Tudo tem e terá que ser feito com muita calma e principalmente cuidado, pois infelizmente, ainda não acabou.

Sabemos o quanto é complicado seguir à risca, o quanto é difícil ficar em casa, principalmente o quanto é difícil ficar longe dos que amamos e tanto queremos por perto, mas, o momento pede isso. Estamos passando por uma fase extremamente delicada, ninguém é exclusivo, esse momento está sendo difícil para todos e por mais complicado que esteja, nós ainda devemos fazer o sacrificial e ficar em casa, pelo bem de todos.

Apenas espero, que esse “novo normal” não seja um em que tenhamos que nos acostumar a ver pessoas morrendo todos os dias e sair para comemorar em uma mesa de bar.

Por mais difícil que esteja, mantenha-se forte, tudo vai passar.

Protejam-se e fiquem em casa!