O Centro Histórico no meio do caos: A abandonada Praça da Sé e as consequências da desigualdade

Nos dias atuais, o centro de São Paulo se encontra à deriva, abandonado, tomado por moradores de rua e inúmeras famílias em situação precária.

Por: Gabriela Sousa

O Centro Velho (Histórico) de São Paulo que corresponde à região onde a cidade foi fundada, em 25 de janeiro de 1554, lugar em que a cidade nasceu e a partir de onde começou a crescer, é um dos principais pontos turísticos da Capital Paulista, lugar que muitas pessoas vão para conhecer, principalmente por ela ser o marco zero.

O Centro Histórico no meio do caos – Foto; Gabriela Sousa

Hoje após o horário de trabalho, passando pela Catedral da Sé, observei uma aglomeração, eram tantas pessoas que estava difícil de se andar. Na multidão, havia pessoas de idade, jovens e diversas crianças, incluindo crianças ainda de colo.

Logo mais adiante, avistei uma fila quilométrica, que dava voltas em meio a Catedral, e essa fila tinha um motivo, que era o chuveiro. A Prefeitura instalou chuveiros para que essas pessoas em situação de rua pudessem tomar banhos, porém, as entradas de acesso, eram desorganizadas e aglomeradas.

O Centro Histórico no meio do caos – Foto; Gabriela Sousa

Tudo que nós estamos tentando evitar, que são aglomerações, pessoas na rua, está acontecendo no centro de São Paulo, e em uma proporção muito maior do que imaginamos. Todas aquelas pessoas estão completamente abandonadas e muitos deles, sem nenhum tipo de esperança e isso era perceptivo, estava nítido no rosto daquelas pessoas.

Observando tudo isso e refletindo no caminho de volta para casa, eu não pude sentir outra coisa, além de angústia, uma enorme tristeza e impotência, pois nada que a gente faça ou tente, será o bastante para essas pessoas.

O Centro Histórico no meio do caos – Foto; Gabriela Sousa

O mundo está vivendo uma pandemia, onde todos estão tentando se proteger de algum jeito, e eu me pergunto, mas e essas pessoas que não tem para onde ir, que estão correndo todos os riscos, que não tem como se proteger, como elas ficam ? O que o governo realmente está fazendo para que essas pessoas que não têm nenhuma qualidade de vida, enfrentem isso com algum tipo de segurança? Ou nós simplesmente iremos dizer “E daí” e esquecer que essas pessoas existem? Até quando isso vai continuar?