Mulher adota cão que a ‘consolou’ após morte da mãe por Covid-19: ‘apareceu no momento que mais precisei’

Segundo Jaqueline, o cãozinho desapareceu após consolá-la e reapareceu depois de quase uma semana. Ele foi batizado como Anjo Gabriel.

Fonte: G1

Cão visita túmulo da mãe de sua dona em Teresina, vítima da Covid-19
Cão visita túmulo da mãe de sua dona em Teresina, vítima da Covid-19

A protetora de animais Jaqueline Masceno decidiu adotar o cão que a ‘consolou’ no momento em que ela descobriu que sua mãe havia falecido em decorrência da Covid-19 no Hospital do Parque do Piauí, na Zona Sul de Teresina. No sábado (22), o cãozinho foi visitar o túmulo da mãe de sua nova dona.

Após o cachorro ter a consolado, ela contou ao G1 que não o viu mais. Somente na última sexta-feira (21), ele reapareceu e Jaqueline foi avisada por uma das enfermeiras da unidade de saúde.

“Depois daquele dia, eu não o tinha mais visto. Quando foi na sexta-feira (21) que eu cheguei da missa de sétimo dia da minha mãe foi que a enfermeira do hospital me ligou dizendo que ele estava na porta do hospital. Então, o rapaz que é do grupo pelo qual eu participo foi até o local e o trouxe para minha casa”, comentou.

Cachorro consola mulher que perdeu mãe vítima da Covid-19, em Teresina — Foto: Arquivo Pessoal Rhavenna Veloso
Cachorro consola mulher que perdeu mãe vítima da Covid-19, em Teresina — Foto: Arquivo Pessoal Rhavenna Veloso

A protetora não ia ficar com o cãozinho por ter outros animais em sua casa. Entretanto, os seus bichinhos acabaram se dando bem com ele. “Eu ia levar para o abrigo porque tenho cachorros aqui em casa com problemas e ele não poderia ficar por não ser castrado. Mas, ao chegar aqui, as minhas cadelas não estranharam ele”, explicou.

No sábado (22), o animal foi até o túmulo onde foi sepultada a mãe de Jaqueline, momento em que ela decidiu adotá-lo. “Eu fui ver a minha mãe e, então, eu o levei. Nós estávamos indo para o sítio para deixar ele lá, mas foi quando eu decidi ficar com ele”, disse.

O cãozinho foi batizado como Anjo Gabriel. Para a protetora, se tornou uma obrigação cuidar dele.

“Ele apareceu e me consolou no momento em que mais precisei. Ele estava ali me consolando e eu senti que era ela. Depois de sete dias, ele apareceu no mesmo local. Então é o destino. É um propósito de eu ter que cuidar dele, eu sinto que é uma obrigação minha”, confessou.

O animal passou pelo processo de castração, mas ainda precisa realizar outros exames e tomar vacinas. No momento, Jaqueline está desempregada e não tem condições de arcar com as despesas. Para as pessoas que quiserem realizar doações, a professora está disponibilizando seu contato que é (86) 9 8819-1836.

História de amor pelos animais
Josefa Masceno, de 74 anos, morreu com Covid-19 em Teresina — Foto: Arquivo Pessoal
Josefa Masceno, de 74 anos, morreu com Covid-19 em Teresina — Foto: Arquivo Pessoal

Ainda de acordo com Jaqueline, sua mãe tinha cuidado e carinho pelos animais e, mesmo com as limitações físicas, colocava comida para os animais que criava. Para ela, a mãe se despediu através daquele animalzinho.

“Ela era cadeirante, pois tinha uma perna amputada, mas mesmo assim tinha um amor muito grande por eles”, afirmou. Tenho certeza que foi através dele que ela veio se despedir. Foi inexplicável. O cachorro me abraçava forte demais”, relatou Jaqueline.

O cachorro fez companhia para Jaqueline até o momento em que o corpo de sua mãe foi liberado para ser enterrado. Após isso, ela buscou atendimento médico no hospital no dia seguinte e procurou o animal, mas não o encontrou.

Jaqueline pediu para que os profissionais de saúde do hospital lhe avisem quando ele aparecer, pois pretende levá-lo para um abrigo de animais onde atua como voluntária em Teresina.