Jogadores dos Bucks se pronunciam após boicote na NBA: “Estamos pedindo justiça para Jacob Blake”

George Hill e Sterling Brown leram o comunicado oficial dos jogadores e falaram que “o foco hoje não pode estar no basquete”

Fonte: Globo Esporte

Após a histórica decisão de não entrar em quadra para enfrentar o Orlando Magic pelo jogo 5 da primeira rodada dos playoffs da NBA em oposição a mais um caso de racismo por parte da polícia americana, os jogadores do Milwaukee Bucks se manifestaram sobre o ato dessa quarta-feira.

Enquanto estiveram no vestiário, os jogadores participaram de uma teleconferência com o procurador-geral de Wisconsin, Josh Paul, e o vice-governador Mandela Barnes. Logo após a reunião, George Hill e Sterling Brown leram o comunicado oficial do time, cercados pelos companheiros.

“Os últimos quatro meses lançaram uma luz sobre as injustiças raciais em curso que as comunidades afro-americanas enfrentam. Cidadãos de todo o país têm usado suas vozes e plataformas para se manifestar contra esses delitos”, começou o comunicado.

O caso que levou os jogadores a não entrar em quadra envolve o cidadão americano Jacob Blake. Jacob, que é negro, levou sete tiros pelas costas da polícia de Kenosha, no estado do Winsconsin, no último final de semana, quando tentava apartar uma briga entre duas mulheres. Na hora, Blake estava desarmado e perto dos filhos. Ele está internado e perdeu o movimento das pernas segundo familiares. O caso gerou uma nova onda de protestos nos Estados Unidos contra o racismo.

“Estamos pedindo justiça para Jacob Blake e exigindo que os oficiais sejam responsabilizados. Para que isso ocorra, é imperativo que o Legislativo do Estado de Wisconsin se reúna após meses de inação e tome medidas significativas para tratar de questões de responsabilidade policial, brutalidade e reforma da justiça criminal. Incentivamos todos os cidadãos a se educarem, a tomarem medidas pacíficas e responsáveis ​​e a se lembrarem de votar em 3 de novembro”, terminou o comunicado, se referindo às eleições presidenciais nos EUA.

Confira a íntegra da declaração:

“Os últimos quatro meses lançaram luz sobre as injustiças raciais em curso que as comunidades afro-americanas enfrentam. Cidadãos de todo o país têm usado suas vozes e plataformas para se manifestar contra esses delitos.

Nos últimos dias, em nosso estado natal de Wisconsin, vimos o vídeo horrendo de Jacob Blake sendo baleado nas costas sete vezes por um policial em Kenosha, e o tiroteio adicional de manifestantes. Apesar do apelo esmagador por mudança, não houve nenhuma ação, então nosso foco hoje não pode estar no basquete.

Quando entramos em quadra e representamos Milwaukee e Wisconsin, espera-se que joguemos em alto nível, demos o máximo de esforço e responsabilizemos uns aos outros. Seguimos esse padrão e, neste momento, exigimos o mesmo de nossos legisladores e agentes da lei.

Estamos pedindo justiça para Jacob Blake e exigindo que os oficiais sejam responsabilizados. Para que isso ocorra, é imperativo que o Legislativo do Estado de Wisconsin se reúna após meses de inação e tome medidas significativas para tratar de questões de responsabilidade policial, brutalidade e reforma da justiça criminal. Incentivamos todos os cidadãos a se educarem, a tomarem medidas pacíficas e responsáveis ​​e a se lembrarem de votar em 3 de novembro”