Fundador da torcida LGBT do Cruzeiro é vítima de homofobia e perseguição

Yuri Senna, um dos fundadores da Marias de Minas, anunciou nas redes o seu afastamento da torcida por conta de ameaças LGBTfóbicas que tem recebido

Fonte: Revista Fórum

Por meio de um comunicado, a torcida organizada LGBT do time Cruzeiro (MG) revelou que um de seus fundadores, Yuri Senna, teve de se afastar por conta de ameaças, ataques nas redes e o vazamento de seu número pessoal.

De acordo com a nota, quando Yuri “decidiu ser pioneiro na torcida do Cruzeiro ao combater a LGBTfobia, sabia do desafio que teria pela frente. Porém, os ataques chegaram a nível que, para preservar sua integridade, a melhor alternativa é sair das Marias de Minas e cuidar da sua saúde mental”.

Em suas redes, o fundador da Marias de Minas comentou sobre o seu afastamento e afirmou que os ataques de ódio que vem sofrendo “abalaram” o seu psicológico”.

Uma publicação de 2019, Yuri Senna já denunciava que vinha sendo alvo de ataques LGBTfóbicos. Um vídeo onde está com outro homem no estádio foi usado para difamar a sua imagem.

A torcida organizada LGBT do Cruzeiro, Marias das Minas, foi fundada em 2019 justamente para combater as LGBTfobia ainda presente no mundo do futebol.