Exposição virtual ‘Queerentena’ reúne obras de artistas LGBTI+

Primeira mostra digital do Museu da Diversidade Sexual (SP) reflete sobre temas como solidão, insegurança e ansiedade

Fonte: Catraca Livre

Primeira exposição digital do Museu da Diversidade Sexual (SP), “Queerentena”, explora as formas que os artistas LGBTI+ encontraram para criar e discutir o momento de isolamento social devido à pandemia de coronavírus. O público tem acesso a 60 obras das mais diversas linguagens artísticas.

Museu da Diversidade Sexual
Crédito: Divulgação/ Museu da Diversidade Sexual Obra “Em Casa”, de Andrés Carmo, é um dos destaques da exposição digital

Tem fotografia, colagem digital, ilustração, pintura com diversos materiais, escultura, fotoperformance, videoperformance, videodança, técnicas mistas de desenho e fotografia, gravação em áudio, pintura em fotografia, giz oleoso e desenho.

Em cada trabalho, os artistas refletem sobre como a sociedade de modo geral está enfrentando situações que já são vivenciadas cotidianamente por pessoas LGBTI+, como solidão, insegurança, ansiedade e isolamento.

Queerentena
Crédito: Divulgação/ Museu da Diversidade Sexuakl
Erick França produziu a obra” Diário de um GAY na Periferia!” para a mostra

A “Queerentena” também apresenta obras que abordam o surgimento de outro vírus, há três décadas: nos anos 1980, o mundo começava a enfrentar e epidemia de HIV/AIDS, sem saber informações básicas, como o modo de contaminação e de que forma a ciência conseguiria combater a doença.

Museu da Diversidade Sexual, Queerentena
Crédito: Divulgação/ Museu da Diversidade Sexual
Obra “Isolamentos”, de Akira Umeda

Há ainda algumas artes que brincam com a própria imagem das máscaras, que se antes eram vistas como algo que serve para esconder, hoje são importantes símbolos de segurança e proteção.

Queerentena
Crédito: Divulgação/ Museu da Diversidade Sexual
Keila Orona faz a obra “Proteção” para a mostra

Os artistas participantes são de várias regiões do Brasil: há nomes de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Brasília Espírito Santo, Pernambuco, Minas Gerais e Pará. Mas o Museu da Diversidade Sexual recebeu inscrições até de países como Portugal e Alemanha!

Crédito: Divulgação/ Museu da Diversidade Sexual
Obra “Linn em Casa”, de Chico Monteiro

A exposição “Queerentena” também marca o aniversário de oito anos do primeiro equipamento cultural da América Latina relacionado à temática LGTBI+. 🎂

Museu da Diversidade Sexual
Crédito: Divulgação/ Museu da Diversidade Sexual
Cheo Gonzalez faz a obra “Pelados” para a mostra

Você pode acessar a mostra diretamente pelo site do museu ou na plataforma streaming #CulturaEmCasa, lançada dia 20 de abril pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Ela disponibiliza gratuitamente conteúdos inéditos das instituições de cultura do Estado de São Paulo.