Erika Hilton se torna a primeira mulher negra e travesti eleita na cidade de São Paulo

Em Belo Horizonte, Duda Salabert, trans e militante vegana e da educação, foi a vereadora mais votada da cidade

Fonte: G1

As eleições 2020 ainda não terminaram, porém, o resultado para o legislativo já pode ser considerado histórico para o movimento LGBT, em especial para as travestis e transexuais. A cidade de São Paulo elegeu a primeira mulher negra e travesti, Erika Hilton. Em Belo Horizonte, tivemos a eleição de Duda Salabert, trans e militante da educação, foi a mais votada da cidade.

A primeira mulher negra e travestis eleita na cidade de São Paulo

A candidata pelo PSOL à Câmara Municipal da São Paulo, Erika Hilton, fez história na noite de ontem ao se tornar a primeira mulher negra e travesti a se eleger na capital paulista. Hilton foi a sexta vereadora mais votadas com 50.477 votos.

Erika Hilton ganhou notoriedade em 2018, quando foi eleita co-deputada à Assembleia Legislativa do estado de São Paulo pela Bancada Ativista (PSOL). Desde então, a sua atuação no movimento LGBT e na luta antirracista se tornou referência em São Paulo.

No seu discurso de vitória, postado ontem (15) a noite nas redes sociais, Hilton afirmou que, para chegar aonde chegou, muitas outras travestis morreram e que, a sua geração está “viva, raivosa e sedenta de justiça”.