Coletivo resgata a identidade da mulher negra com debates na Zona Leste de São Paulo

Escritora Carolina Maria de Jesus

O projeto Voz Preta, contemplado pelo Programa de Incentivo a Cultura da Prefeitura de São Paulo (VAI) tem o intuito de resgatar a identidade de mulheres negras e dar voz àquelas que são silenciadas pelo racismo e machismo.

Idealizado pelo Coletivo feminino e negro Quilombo de Carolinas, formado por seis mulheres com o objetivo de trabalhar questões sociais e raciais com moradores de periferia, faz o primeiro encontro que acontece no dia 27 de janeiro, a partir das 09h no CEU São Mateus.

De acordo com uma das criadoras do projeto, Ágata Moura, a ausência de iniciativas do tipo na região, motivou ela e suas amigas a dar o pontapé inicial e criar o Quilombo de Carolinas:

O coletivo surgiu da carência que percebemos desta temática na nossa região. As meninas e eu já éramos amigas, e decidimos nos reunir de forma organizada e política para trazer esses temas para o lado de cá. Resolvemos homenagear a escritora Carolina Maria de Jesus, assim como nós, mulher negra, pobre, e periférica e que assim como nós também acessava espaços da elite fazendo comparativos com a sua realidade. Quilombo nos remete a união, força, lugar de encontro e partilha e assim o nome surgiu: Coletivo Negro Quilombo de Carolinas!”

Coletivo Negro Quilombo de Carolinas

O projeto Voz Preta vai abordar temas sobre a história da África, saúde da mulher, mercado de trabalho, orientação vocacional, a mulher na sociedade, autoestima, gênero e política e sociedade.  Além do primeiro que acontece no CEU São Mateus, também ocorreram mais três rodas nos CEUS: Aricanduva, Vila Formosa e Sapopemba, todos na Zona Leste.