Chá Literário, com sabor de esperança

Sábado de manhã, chuva e até certo ponto, frio, em plena primavera.  Um dia perfeito para dormir e acordar mais tarde, não para os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Dr Fábio da Silva Prado – Mooca em São Paulo que estavam presentes para mais um Chá Literário que faz parte da Academia Estudantil de Letras (AEL), projeto já consolidado e desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SP).

Ao entrar na sala me chamou a atenção à presença significativa de pais e a organização que foi realizada pelas professoras para que todos apreciassem uma verdadeira manhã de chá e poesia. Para quem não conhece a Academia Estudantil de Letras (AEL), projeto lançado em 2005, já está em mais de 90 escolas da rede municipal da capital paulista e não para de crescer. Com o objetivo de sensibilizar os alunos a conhecer autores e fomentar a pesquisa a AEL segue o modelo da Academia de Letras, onde os alunos participantes escolhem o autor no qual vão representar e organizam seminários sobre as obras que são apresentadas nesses encontros.

Alunos do Ensino Fundamental Dr Fábio da Silva Prado se apresentam  durante o Chá Literário

Segundo a professora Nádia Gonçalves Guerra, uma das organizadoras, o Chá Literário tem como objetivo incentivar a interação dos alunos com os pais, que também contribuem nas apresentações com leituras de poesias:
“O Chá Literário realmente foi feito para ter essa interação. Os alunos alegam que conforme vão descobrindo mais sobre os autores, apresentam para os pais que também acabam gostando, e é fundamental ter esse momento para falar de poesia. Por isso se chama Chá literário, para ter um momento de falar de poesia, a gente traz os alunos e prepara para fazer alguma apresentação, um resumo do que eles estudaram”
A professora Nádia também destaca a importância dos pais lerem para seus filhos, uma cultura que está acabando e é cada vez mais raro no mundo moderno;

“Para os pais é muito importante que eles estejam nesses encontros de um chá informal para falar de poesia, e eles (alunos) mostrarem o que eles estão aprendendo. De alguma forma a gente quis fazer além da poesia dos alunos, tem um trecho que a gente dá uma poesia para os pais lerem para os seus filhos, pois hoje em dia a relação se resume no boa noite, a cultura de ler para os filhos está se acabando, e aqui é possível os pais lerem para os filhos e motiva-los”

O Escritor Eduardo de Febo participou do evento falando de Literatura e Poesia

Observando a interação dos alunos, é visível o quanto é importante e principalmente como eles se identificam com os autores, alguns mais introspectivos, outros com maior desenvoltura, mas todos, sem exceção se sentiam importantes fazendo parte de algo. Essa é a educação pela qual lutamos e acreditamos, passa pela transformação dos alunos e é isso que a professora Nádia todas as outras estão fazendo, plantando uma semente que com certeza fará diferença para o mundo que tanto sonhamos.

 

No próximo de 24 de outubro acontece a  Festa Anual de Posse da AEL Clarice Lispector que será no Teatro Arthur Azevedo que fica na  Av. Paes de Barros, 955 – Mooca

 

Por: Alam Moura