Camila Cabello lança o autointitulado álbum de estreia “Camila”

Como um dos mais esperados de 2018, o álbum imediatamente alcançou o topo da lista dos mais vendidos no iTunes e segue na mais alta posição do chart de álbuns pop da plataforma. Ao redor do mundo, o disco já abocanhou o Top 1 em 96 países, tornando-se uma força internacional.

Entre sua tracklist de sucesso, o álbum inclui o hit platina dupla “Havana”, com participação de Young Thug, que recentemente passou dos 765 milhões de streams acumulativos e caminha para a marca de 1 bilhão. A canção fez história, atingindo a chancela do “maior tempo de uma artista feminina no topo da lista Top 40 Radio em cinco anos”, além de ocupar o segundo lugar do Hot 100 da Billboard por seis semanas e a terceira posição por 10 semanas inteiras. Depois de cinco semanas no Top 1, “Havana” é também o single de uma artista feminina que ficou mais tempo no topo das listas no Reino Unido, desde o feito de “Someone Like You”, de Adele, em 2011. Globalmente, ela segue como a artista feminina com o maior número de streams no Spotify e a segunda artista geral com a maior quantidade de streams na plataforma, além de ter se tornado a primeira artista feminina a alcançar a marca de 40 milhões de ouvintes mensais.

Na última semana, o novo single “Never be the Same” oficialmente estreou nas rádios norte-americanas, instantaneamente subindo para a 29º posição. Camila apresentou a canção com uma poderosa performance, na última quarta-feira, no programa da TV norte-americana The Tonight Show, comandado por Jimmy Fallon. Confira aqui.

A cantora fez uma forte divulgação na TV norte-americana, com aparições no programa TRL, transmitido pela MTV, e no Good Morning America, do canal ABC. Camila se prepara para sua apresentação no programa da apresentadora Ellen DeGeneres nesta quarta-feira, 17 de janeiro.

O novo álbum já recebeu boas críticas: a revista Entertainment Weekly declarou que “Camila é desafiadoramente sua própria estrela pop no álbum de estreia”, e o USA Today elogiou o disco dizendo que “Camila é uma mistura vibrante de sons e estilos”. Em uma crítica que recebeu 4 estrelas, o jornal The Times London aplaudiu a imprevisibilidade do novo álbum: “como o sucesso que lhe deu fama, é bastante inesperado”. O jornal The New York Times a apelidou de “um modelo para jovens garotas à beira de um terreno emocional mais íngreme” e a revista britânica NME chamou a coleção de “uma forte e supreendentemente confiante impressão”. O site Stereogum declarou que “o trabalho de base definirá Camila como um grande sucesso”, enquanto a Billboard afirmou: “Cabello estabeleceu vocalmente, liricamente e impressionantemente que ela, desde sempre, deveria ser simplesmente Camila”

Uma poderosa, apaixonada e pessoal jornada para a cantora, “Camila” representa um marco importante. Ela o descreve como “a trilha sonora do último ano da minha vida”, convidando os ouvintes para estarem mais perto do que nunca.