Brasil fica fora de primeira leva de vacinas por ignorar Pfizer, diz Átila Iamarino

Laboratório anunciou que seu imunizante contra a Covid-19 mostrou 90% de eficácia provisória em testes

Fonte: Revista Fórum

O biólogo Átila Iamarino publicou em seu Twitter, nesta segunda-feira (9), que o Brasil deve ficar fora da primeira leva de doses da vacina da Pfizer porque o governo Jair Bolsonaro ignorou o contato do laboratório feito em julho.

Mais cedo, nesta segunda-feira, a empresa divulgou que os primeiros resultados do estudo de seu imunizante mostraram eficácia provisória de mais de 90% contra o novo coronavírus, em voluntários que não tinham evidência de contato prévio com o Sars-Cov-2.

“Torcendo pra não guardarem mágoas. Já vamos ficar de fora da primeira leva de doses da Pfizer porque o governo federal do Brasil ignorou o contato deles em julho. Agora vamos pro fim da fila”, escreveu Iamarino.

Testes da Pfizer

As vacinas da Pfizer estão em testes em voluntários no Brasil atualmente. As doses estão sendo desenvolvidas em conjunto com a farmacêutica alemã BioNTech.

No entanto, de acordo com a farmacêutica, ainda não há acordo com o governo brasileiro para a produção da vacina no país. A compra da vacina em teste teria sido oferecida, mas não houve resposta.

No comunicado, a Pfizer não dá maiores detalhes sobre os testes. No entanto, deixa claro que esses resultados ainda não a habilitam a pedir uma autorização de emergência à FDA (Food and Drugs Administration, órgão dos EUA equivalente à Anvisa brasileira) para aplicação das doses na população em geral.

O laboratório diz esperar que os resultados de uma média de dois meses de dados de segurança de seu estudo em relação à segunda dose da vacina estejam disponíveis na terceira semana deste mês. Essa etapa é exigida pela FDA para conceder uma autorização emergencial de uso para o imunizante.